transversal.mente

paul auster **na impossibilidade das palavras, na palavra por dizer que asfixia, é que eu me encontro **

quarta-feira, julho 13

 












o actor acende a boca
depois, os cabelos.
finge as suas caras nas poças interiores.
o actor põe e tira a cabeça
de búfalo.
de veado.
de rinoceronte.
põe flores nos cornos.
ninguém ama tão desalmadamente
como o actor.
o actor acende os pés e as mãos.
fala devagar.
parece que se difunde aos bocados.
bocado estrela.
bocado janela para fora.
outro bocado gruta para dentro.
o actor toma as coisas para deitar fogo
ao pequeno talento humano.
o actor estala como sal queimado.


herberto helder (excerto de poemacto)









( digo. só me levo a sério assim. quando acendo a boca. ou estou das avessas.
falo. penso. e a palavra ocupa-me.
incendeia-me. acesa palavra no céu da boca. eco de luz própria. não me perguntes
porquê.
não saberia dizer. não saberia dizer. )



há tantas caras
interiores nestas poças fingidas. vejo poças. digo fingidas. bocados que tomo
para deitar fogo. às coisas breves. permaneço. ponho. assim tiro. assim morro. expando-me.
pequeno humano talento. um bocado gruta. para fora.
um bocado estrela. para dentro. germinando
em formas. em sombras. respirando os ritmos. intermitentes mãos. incandescentes
pés. ninguém amassa tão desalmadamente como o actor. as caras. as palavras. o barro das flores. digo
flores. ou digo cornos. ninguém vai tão desabridamente como o actor. para lá dos pés. para lá das mãos. ninguém
põe flores tão breves nos cornos. como o actor. nos veados. nos búfalos. ninguém cavalga
tão desnudadamente como o actor. a palavra. o gesto por dentro. digo gesto. digo na boca. aceso
espanto
precipitando-se
na
verdade. ninguém a come tão vorazmente como o actor. no tempo. no tempo
breve entre uma coisa. e outra. o actor acontece-lhe. o actor é telepático. na invasão galopante
da verdade que o ocupa.
o actor fabrica-se nessa verdade. o actor ri da verdade
que o fabrica. intermitente. como deus. em estado de extremo recolhimento
o actor publicita a personagem deus. inventa-lhe o nome. inventa para o nome o Nome. amplia.
enlouquece. vividamente. publicamente. o actor em acto extremo de poema. o actor incendeia-se no poema.
como sal queimado. há no poema a boca acesa. do actor. da verdade do actor.
digo
em compacto estado de pureza. digo herberto. digo helder.)



( digo não sei. onde começo. onde acabas. )







( pedaços Dele. pedaços de mim. do poema como acto. )





Comments:
é um texto k n/ é para comentar. ~^e-se, sente-se e...aplaude-se. Ouves(-me). Bjs e;)
 
É incrivel que quando leio este tipo de poema, tenho a sensação que o autor entrou no meu cérebro e roubou as palavras de mim.
 
Enviar um comentário

<< Home

     

This page is powered by Blogger. Isn't yours?