transversal.mente

paul auster **na impossibilidade das palavras, na palavra por dizer que asfixia, é que eu me encontro **

sexta-feira, abril 29

 

bacelo

minha puta
meu coração
amo-te como quem caga
empapa o cu na tempestade
rodeada de relâmpagos
é o raio que te fode
brada na noite um louco
entesoado como um cervo
ó morte o cervo sou eu
devorado pelos cães
a morte ejacula em sangue






royo4

















georges bataille, o bordel da danaide, in qual é a minha ou a tua língua, ( cem poemas de Amor de outras línguas ), organização de jorge sousa braga, para asssírio & alvim.



( eros.tanatos. transgressão. )
Comments: Enviar um comentário

<< Home

     

This page is powered by Blogger. Isn't yours?